Paula Gago @ 18:20

Sex, 22/04/11

A SENHA

 

 

O CRAVO

 

E  AGORA  O QUE FIZERAM DO NOSSO 25 DE ABRIL!

 

Portugal continua a ser o nosso cantinho à beira mar plantado.

Mas o que é feito de tanta força, tanta coragem que tiveram os nossos Capitães de Abril!

Valeu a pena, valeu a pena pergunto eu e perguntam muitos dos meus compatriotas.

Eu diria que sim, não fora a existencia de tanta desigualdade, tanta luta, tanta falta da verdadeira e tão desejada LIBERDADE .

Somos livres! talvez, mas não da forma que o 25 de Abril o desejou...

Os nossos Jovens não são os joves de então, os jovens já não somos nós.

Hoje proclama-se uma liberdade que é tudo menos isso, hoje a liberdade tem o cheiro a falta de respeito pelos nossos irmãos, hoje a liberdade cheira muito mal, os Velhos são para deitar fora, não sabem nada (dizem eles, os jovens de hoje) os Professores são incomodativos e um alvo a abater, a mal tratar e a desrespeitar. Hoje a política é cada vez mais nossa inimiga, hoje a assembleia da República deveria chamar-se de lavadouro público onde se lava muita roupa suja, mas que no final sai ainda mais suja do que entrou.

 

Ouvir os políticos a falar, hoje em dia é igual a uma dor de cabeça, todos falam muito e falam muito bem, mas será que dizem alguma coisa? Eu os ouvi e acreditem que os tenho ouvido muito bem, para tentar fazer a escolha mais certa, mas infelizmente cheguei à triste conclusão de que seja qual for o escolhido, não vai haver mudanças.

 

Portugal precisa de Homens novos, novas atitudes, novas crenças.

 

PORTUGAL PRECISA DE UM VERDADEIRO 25 DE ABRIL.

 

 

 

Os jovens de hoje não sabem o que foi, não sabem o que é a LIBERDADE, não sabem o valor do 25 DE ABRIL de então.

FICA A ESPERANÇA DE UM PAÍS MELHOR.

PORTUGAL SEMPRE.

 

 

BY:Paula Alexandra Gago.

UM CORAÇÃO PORTUGUÊS.

 

 

 

 

 

 

 

 


sinto-me:
música: E DEPOIS DO ADEUS
|


Dylan @ 18:51

Dom, 24/04/11

 

Não, eu não gosto de ouvir dizer que "antigamente é que era bom", que "as actuais condições económicas e sociais são piores do que há 40 anos." Porque nunca gostei de censura nem da arte de chibar, eu quero que se respeite a alma de homens como Salgueiro Maia, Humberto Delgado e daqueles que foram encarcerados por pensarem de maneira diferente. Eu gosto de ver a emancipação da mulher e do seu novo papel na sociedade, longe do tempo em que o divórcio era um tabu religioso, de olhar para uma escola e ver meninos e meninas a brincarem juntos num recreio, afastados de uma qualquer mocidade portuguesa. Eu gosto de pertencer à comunidade europeia e ter deixado o "orgulhosamente sós", de observar os direitos dos cidadãos à saúde, à educação e ao trabalho. Não questiones se Abril valeu a pena, usufrui da liberdade conquistada como se fosse a coisa mais importante da tua vida.


Ligações
Arquivo
Pesquisar