Paula Gago @ 18:10

Ter, 03/08/10

O outro lado da aflição.

"Sabendo que todas

as coisas concorrem

para o bem daqueles

que amam a Deus,

daqueles que são

chamados segundo o

seu propósito."

Rom.8:28

Quando o médico chegou, a Maria estava em estado de desespero, tão agitada que ninguém a conseguia acalmar. Fechou-se no quarto, surda aos apelos da família, lançou-se em cima da cama e começou a chorar. Apesar do médico lhe dizer que estava ali para a ajudar, ela gritou: "Eu não preciso de médico, não estou doente. Quero a minha filha de volta."

A Maria acabara de entrar para o mundo escuro e desordenado da aflição. Eu pergunto: existe uma saída? Ninguém quer perder quando a perda é alguém que amamos. Mas, na verdade, as perdas acontecem: acidentes trágicos, o divórcio que desfaz laços profundos, o cancro, as doenças cardíacas-atacam todos os dias. Frequentemente, aqueles que passam por aflições pensam que Deus os abandonou e perguntam: porque está Deus ausente neste momento? Às vezes preferimos chorar sozinhos.

Queridos leitores, Isaías descreve Jesus como 2Homem de dores e que sabe o que é sofrer"( Isa.53:3.) Este é o Cristo,     Aquele que clamou na cruz "Deus Meu, Deus Meu, porque Me desamparaste?"( Mat.27:46). Acreditem, esse grito desesperado engloba todos os nossos gritos e aflições. Jesus entende o desespero, a aflição e a dor. Ele deu-nos meios para que suportemos a aflição e nos recuperemos do desespero.

O primeiro passo é procurar alguém que nos ouça sem julgar, que entenda sem dar conselhos. Precisamos de um meio para expressar a dor e o sofrimento. No Seu sermão do Monte, Jesus disse: "Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consulados." (Mat.5:4). Chorar traz conforto; precisamos de encarar a perda e enfrentar a dor.

Um outro passo para enfrentar a aflição sem desespero é descobrir quais os propósitos de Deus. Na sua tristeza, pergunte:"Senhor, que planos tens para a minha vida?"

Conta-se a história da Helen Raley que, alguns meses após ter perdido o marido, decidiu fazer uma pequena viagem à terra onde nascera. Foi uma viagem emocionante. Lá encontrou uma velha amiga e visitaram os lugares onde brincaram quando crianças. Quantas recordações! Lembrou-se do trabalho duro que fizera parte da sua família, passou a compreender melhor quem era e foi capaz de ir adiante e construir uma vida produtiva. Afinal, Deus tinha planos para ela.

Pergunto: Existe dor na aflição?Sim. Escuridão, momentos de tristeza?Sim. Sim. É tudo sem sentido? Não. Irmãos, do sofrimento Deus tira um novo propósito. No momento da tristeza, Ele está bem próximo de cada um de nós. Deus, no seu infinito Amor, mostra-nos o outro lado da aflição.

 

Precisamos de conhecer Deus porque Ele é conforto. Não tema, partilhe o seu sofrimento e dor com Aquele que está familiarizado com o sofrimento.Que tenha um bom dia na presença do Senhor.

Autor:Daniel Martins

Lapi-Sul

Meditações 2010.


 

 


|

Ligações
Arquivo
Pesquisar